Ecos das 11as Jornadas Científicas e Tecnológicas de Moçambique

Depois de reunirem –se na cidade de Pemba, província de Cabo Delgado, Investigadores pesquisadores de diversas áreas de conhecimento, reuniram –se na Cidade da Beira, Província de Sofala, para dar a conhecer os resultados da investigação científica e tecnológica no país com destaque para as áreas de Ciências Agronómicas, Animais e florestais; Ciências de Saúde; Água e sustentabilidade Ambiental; Ciências Marinhas e Pescas; Energia, Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) e Ciências Sociais.

Com duração de dois dias, o evento realiza-se sob o lema: “Investigação CientÍfica, Inovação e Transferência de Tecnologia como catalisadores do Desenvolvimento Sustentável”.

Intervindo durante o evento, a Vice-Ministra da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Leda Hugo deu a conhecer que para as 11as Jornadas Científicas e Tecnológicas de Moçambique e Quintas regionais, foram submetidos a Comissão CientÍfica 125 resumos de trabalhos de pesquisa dos quais 88 foram selecionados e aprovados para as apresentações.

Segundo a Vice-Ministra, a ciência, tecnologia e inovação são instrumentos cruciais para o desenvolvimento económico, geração de emprego e renda. Neste contexto, o trabalho dos cientistas, investigadores, e técnicos é determinante para a construção da soberania nacional e a consolidação de um modelo de desenvolvimento sustentável, capaz de atender as demandas sociais.

Aliás, o Governo aposta no desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação para potenciar o crescimento e desenvolvimento da economia, por forma a que os investigadores tragam junto ao empresariado soluções tecnológicas que satisfaçam as necessidades reais dos cidadãos, da comunidade e da economia nacional.

“A ciência e a tecnologia devem estar alinhadas com os propósitos da nossa sociedade no que tange a criação do desenvolvimento e bem-estar da sociedade; daí que o alinhamento entre a produção, divulgação, adopção e a transferência do conhecimento científico, tecnológico e inovação como os pilares de desenvolvimento nacional, é um imperativo para aprática de uma investigação científica relevante e patriótica”, vincou a Vice-Ministra.

Importa referir que o Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico profissional (MCTESTP), através do Fundo Nacional de Investigação (FNI), tem como uma das suas responsabilidades estabelecer, promover, divulgar e fiscalizar toda actividade realizada nos domínios da produção científica, investigação e da inovação.

Criado pelo Decreto nº 10/2006 e revisto pelo Decreto nº52/2015, o FNI, tem como objectivo primordial, promover a investigação científica e o desenvolvimento tecnológico, através do financiamento e fomento da execução de programas, projectos e outras acções no domínio da investigação científica e inovação tecnológica, segundo as prioridades estratégicas do Governo.

 

Sobre Nós

Natureza: O Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) é o órgão central do Aparelho do Estado que, de acordo com os princípios, objectivos, políticas e planos definidos pelo governo, dirige, planifica e coordena as actividades no âmbito da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional. Foi criado pelo Decreto Presidencial n.º 1/2015, de 16 de Janeiro.

Visão : Formular políticas para o desenvolvimento integrado, articulado e qualitativo da Ciência e Tecnologia, dos Ensinos Superior e Técnico-Profissional, com vista à indução do crescimento e desenvolvimento socioeconómico de Moçambique.

Missão: Promover a oferta de soluções científicas e tecnológicas aos cidadãos nas áreas estratégicas de desenvolvimento definidas nos programas do Governo de Moçambique, aliado à promoção do acesso, expansão e garantia de qualidade de ensino nos níveis de Ensino Técnico-Profissional e Superior em Moçambique.