Bolseiros moçambicanos beneficiam-se de bolsa de estudo no Reino Unido

Data: 29/08/2019
 
amigos, pipocas & filmE. (1)

Um total de 21 estudantes bolseiros moçambicanos beneficiam-se de bolsas para frequentar o curso de Mestrado no Reino Unido, em áreas estratégicas para o desenvolvimento do país, como sejam, Agricultura, Petróleo e Gás, Educação e Infra-estruturas, entre outras.

Discursando por ocasião da cerimónia de despedida dos Bolseiros, o Secretário Permanente do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico profissional, Celso Laice, afirmou que a bolsa resulta da cooperação existente entre os Governo de Moçambique e Reino Unido e inserem –se no âmbito dos Programas Chevening e Commonwealth, que são importantes, na medida em que a sua implementação tem contribuído para a elevação do Capital Humano moçambicano, através de formação superior.

Como explica Laice, as bolsas da Commonwealth têm o financiamento do Departamento Britânico para o Desenvolvimento Internacional (DFID), e visam contribuir para suprir as necessidades dos países Membros da Commonwealth, como é o caso de Moçambique, através da formação no nível de Pós-graduação de profissionais e académicos em várias áreas de conhecimento.

Ademais, o Programa de Bolsas Chevening que tem como público-alvo profissionais que demonstrem potencial de liderança, habilidade de networking, plano de estudo concreto no Reino Unido e plano de carreira profissional, contribui para a formação de quadros moçambicanos que se encontram a trabalhar, tanto no Sector Público, como no Sector Privado.

“Como sabemos, a expansão e acesso ao Ensino Superior continua sendo um desafio para Moçambique, tal como vem expresso no Plano Estratégico do Ensino Superior 2012-2020 (PEES 2012-2020). Por assim ser, os dois Programas de Bolsas de Estudo (Chevening e Commonwealth), concorrem de forma clara para o aumento do acesso da população moçambicana ao Ensino Superior, criando condições para formação de quadros que vão participar de forma activa no desenvolvimento do país”, disse Laice.

Por sua vez, o Ministro Britânico para Africa, Andrew Stewphenson felicitou os bolseiros, tendo reafirmado o compromisso do seu país em continuar a cooperar com o Governo de Moçambique na área de formação de capital Humano, como forma dotar os formandos de competências que irão permitir alargar as possibilidades de aceder ao mercado de emprego.

Na ocasião, Andrew Stewphenson explicou que os mesmos foram escolhidos não apenas pelas suas qualificações académicas, mas também pelo seu potencial de liderança e compromisso de trazer as novas habilidades e conhecimentos de volta a Moçambique, para contribuir para o crescimento e prosperidade do país.

“O Reino Unido e Moçambique estão firmes no compromisso partilhado para com a Educação dos Jovens moçambicanos. Quatro das seis melhores universidades do mundo estão no Reino Unido e as bolsas de estudo da Chevening e Commonwealth são uma das maneiras pelas quais fortalecemos os vínculos culturais e educacionais entre os nossos dois países”, disse o ministro Andrew Stewphenson.

Retomado a palavra o Secretário Permanente do MCTESTP, avançou que apesar de Moçambique ter avançado bastante no que a oferta de vagas do Ensino Superior diz respeito, passando de uma população de 174.802 em 2015, para 213.930 em 2018, quando comparado com outros países da Região da África Austral, nota-se que o país ainda tem muita população em idade de ingressar no nível superior que ainda não está nesse subsistema de ensino.  

“Queremos louvar as duas iniciativas coordenadas e financiadas pelo Governo Britânico e, ainda, felicitar e encorajar os bolseiros para que se empenhem de modo a valorizar o investimento que está sendo feito e exortar que após o vosso regresso ao país, emprestem os conhecimentos e experiências adquiridas para o desenvolvimento do país”, vincou.

Ainda no decurso do evento, Celso Laice apontou como principal desafio do Ensino Superior no País, a consolidação das reformas já iniciadas no âmbito da melhoria da qualidade e, uma das acções imediatas é a formação dos Docentes deste subsistema de ensino.

Importa referir que com apoio de outros Parceiros de Cooperação, o Governo está a projectar estabelecer um programa específico de bolsas de estudo para Docentes do Ensino Superior, no nível de Mestrado e Doutoramento por julgar que a formação do Corpo Docente é deveras importante e tem efeito multiplicador, na medida em que o Docente vai formar mais potenciais Docentes e, por essa via, o rácio Estudante/Professor Doutor vai melhor, aproximando-se aos níveis regulamentados.