Últimas notícias

Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional avalia 150 cursos de ensino superior

Data: 14/10/2020
Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional  avalia 150 cursos de ensino superior

O Ministério de Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional através do Conselho Nacional de Avaliação de Qualidade do Ensino Superior (CNAQ) avalia cursos e instituições do ensino superior através da avaliação externa online para a sua acreditação, num período em que o país se encontra afectado pela pandemia.

Intervindo no lançamento da avaliação externa, o ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Gabriel Salimo disse que o Governo orienta para continuidade das actividades para que o projecto de desenvolvimento não fique paralisado pondo em causa a vida das pessoas.

Neste período de pandemia a avaliação externa será realizada com recurso as tecnologias de informação e comunicação numa modalidade hibrida, sendo que grande parte do processo ocorre à distancia.

Para o efeito, as visitas as instituições de ensino superior serão realizadas por uma equipa reduzida, composta por um especialista e um membro do CNAQ para a verificação de evidencias sobre as condições de ensino e aprendizagem que não podem ser aferidas online, nomeadamente as condições das salas de aulas, laboratórios, bibliotecas e outras infraestruturas importantes das instituições de ensino.

Segundo Gabriel Salimo serão avaliados 150 cursos, sendo 111 de grau de licenciatura, 37 de grau de mestrado e 2 para o nível de doutoramento de modo a terem a acreditação para a lecionação nas instituições de ensino superior públicas e privadas do país, nos próximos anos.

Numa primeira fase cerca de 46 cursos de grau de licenciatura de instituições de ensino superior públicas e privadas terão o crivo dos avaliadores externos, no quadro do período de avaliação dos curos a serem ministrados em Moçambique.

“sabemos que a preparação destas missões de avaliação externa iniciou há alguns meses, com a concertação e capacitação dos órgãos internos de garantia de qualidade nas instituições de ensino superior, formação dos actores directamente envolvidos ao na auto -avaliação, dos gestores de procedimentos e de avaliadores externos”, frisou o dirigente.

Todavia, Gabriel Salimo instou ao CNAQ para aprofundar a capacidade dos intervenientes promovendo uma acção crítica com vista a produzirem informação que podem contribuir para o aperfeiçoamento do uso das tecnologias de informação e comunicação na avaliação externa.

Face ao contexto da pandemia da Covid – 19 que graça o país e o mundo, esta será a primeira avaliação externa a ser realizada de forma online, daí a necessidade da colaboração de todos os intervenientes no sentido de aprender a fazendo, assumindo que o processo deve tirar lições para suplantar os desafios que ocorram.

“A vossa disponibilidade para a partilha de experiencias será chave para que esta avaliação se torne mais uma prática bem-sucedida”, referiu.

Gabriel Salimo felicitou o CNAQ pela capacidade que revelou ao reinventar-se para responder aos desafios impostos pela nova normalidade, introduzindo adaptações nas ferramentas e nos procedimentos de garantia de qualidade do ensino superior, contribuindo para que acções observem padrões de qualidade.

O CNAQ tem demostrado em criar espaços para que as instituições de ensino superior e outros actores interessados participem de forma activa na consolidação de uma cultura de qualidade baseada em princípios partilhados.

O Conselho Nacional de Avaliação de Qualidade do Ensino Superior em tempos de pandemia produziu resultados assinaláveis como a identificação de elementos de referencia para a garantia de qualidade do e-learning adoptado para a oferta de cursos presenciais contexto da Covid – 19, informação sistematizada sobre as boas práticas e os desafios enfrentados  pelas instituições de ensino superior na oferta de cursos online,  os critérios de classificação de curos e disciplinas, facilitando a definição, caso a caso, do tempo necessário para o reforço da aprendizagem depois da reabertura das aulas presenciais e, por fim, a revisão das ferramentas de avaliação para incluir critérios de qualidade do e-learning.

O representante do CNAQ Jeff Mukhora disse que a instituição está preocupada em manter e reforçar uma abordagem orientada para a sensibilização das instituições de ensino superior no país.

Jeff Mukhora, referiu que o que mudou na avaliação externa realizada pela instituição face a pandemia da covid – 19 foram as entrevistas e as análises das evidências para a acreditação dos cursos e instituições de ensino.

“A equipa de avaliadores externos é composta por 62 pessoas sendo 50 doutores e 12 mestres, mas a perspectiva e um dia contarmos apenas com uma equipa de doutores”, afiançou o representante do CNAQ.